Pagina Inicial Cidades Em Tacima, professora utiliza seu décimo terceiro para premiar alunos

Em Tacima, professora utiliza seu décimo terceiro para premiar alunos

Aline Belarmino, professora e advogada.
(Foto: Aécio de Oliveira)

A professora de história Aline Martins Belarmino decidiu usar o seu décimo terceiro salário para premiar os alunos que se destacam nas turmas do sexto ao nono ano em sua disciplina. Aline, que também é advogada, exerce a profissão na Escola João Emídio dos Santos no Distrito do Braga de Cima, Município de Tacima, no Curimataú paraibano, desde o ano de 2014, quando foi aprovada em concurso público.

A premiação é feita pela própria professora, que avalia o ato com uma forma de incentivo a educação, onde os alunos que tem os melhores comportamentos e médias durante todo ano letivo são premiados. Entre os brindes, são sorteados viagens, tabletes, medalhas e um envelope com uma quantia em dinheiro.

No ano de 2018 o destaque foi um aluno que havia sido reprovado no ano de 2017, mas esse ano se destacou pelo esforço e comportamento em sala de aula e recebeu a premiação da professora.

A cerimônia é realizada de forma simples, contando apenas com a professora, alunos, um representante familiar de cada premiado e alguns funcionários que são convidados pela professora.

Aline destacou a satisfação de contemplar os alunos. “É uma realização pessoal, pois isso que faço é acreditar que nós quanto professor podemos fazer a diferença na vida do aluno”, destacou.

A professora ainda destacou que por ensinar em uma comunidade carente, afastada dos grandes centros percebe que parte dos alunos não visualizam a educação como perspectiva para o futuro.

“Acredito que o incentivo das premiações, pode fazer com que eles percebam no presente algo que só perceberiam em um futuro distante, mostrar que a educação vale a pena hoje e consequentemente quando se pega gosto pelo estudo, conhecimento, teremos um futuro melhor”.

A professora destaca que consegue fazer a premiação devido a sua outra profissão de advogada, onde ela “sacrifica” seu salário para propor aos alunos um momento que certamente ficará marcado na vida de cada um.

“Apesar de estar em um cargo com remunerações, que tem melhorado a cada dia, mas infelizmente se dependesse apenas do salário de professora não seria possível realizar este projeto. Faço isso com muita alegria e sem nenhum constrangimento e gostaria de ter condições de fazer muito mais pelos alunos que passam o ano inteiro comigo”.

A projeto é intitulado como “Estrelinhas” e acontece todos os finais de ano.

Confira algumas fotos:

Colaborou Áecio de Oliveira