Pagina Inicial Cidades Estudante guarabirense de 16 anos tira nota mil na redação do Enem 2018, na Paraíba

Estudante guarabirense de 16 anos tira nota mil na redação do Enem 2018, na Paraíba

Tiago Henrique mora na Paraíba, fez o Enem 2018 para ganhar experiência e tirou nota mil na redação — Foto: Tiago Henrique Gonçalves/Arquivo pessoal

Aos 16 anos e enquanto cursava o 2º ano do ensino médio, Tiago Henrique Rodrigues Pedrosa Gonçalves, que mora no município de Guarabira, no Brejo paraibano, alcançou a nota máxima na redação do Enem 2018, mil pontos. O resultado foi descoberto por ele nesta terça-feira (19), após a pontuação dos “treineiros” e o espelho das redações corrigidas serem divulgadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Segundo o estudante, que pretende cursar engenharia da computação na Universidade Federal de Pernambuco, estado onde nasceu, o resultado superou as expectativas. Tiago já havia feito o Enem nos anos anteriores, mas a maior nota alcançada na redação até então, por ele, tinha sido 630.

“Eu não esperava nem um pouco. […] Eu estava em casa estudando, aí meus amigos disseram que tinha saído a nota. Quando eu fui olhar, fiquei surpreso, comecei a tremer e avisei meus amigos, minha mãe e meu pai. Minha mãe chorou um pouquinho, falei pro meu pai, ele ficou muito feliz, gostou muito, falou que estava orgulhoso”, relatou.

Em relação ao tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio, “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”, Tiago explicou que um professor havia abordado o assunto, poucos meses antes, durante uma aula na escola particular onde estuda.

“Eu tenho um professor de atualidades do colégio. Todo sábado ele diz um tema e explana na aula, traz um texto e a gente discute. E falou sobre isso, logo sobre o tema da redação. Sobre roubo de dados para fazer propaganda, aí consegui ter uma base para botar no texto”, disse.

Espelho da redação do Enem 2018 de Tiago Henrique Gonçalves, que mora e estuda na Paraíba — Foto: Tiago Henrique Gonçalves/Arquivo pessoal

Tiago contou que a rotina de estudos dele consistia em ir para a escola durante a tarde e, nos períodos da noite ou da manhã seguinte, revisar o conteúdo visto e fazer os exercícios. Além disso, participava de aulas aos sábados de manhã e utilizava parte do domingo para estudar o que fosse necessário.

“No 2º ano eu estudava todo dia, mas era pouco, eu achava. Estudava duas horas por dia e não fiz cursinho de redação naquele ano. Agora eu estou intensificando mais”, relatou.

Leitura e preparo

Segundo a mãe dele, Alexandra Rodrigues da Silva, a nota do estudante foi comemorada por toda a família. “Vale a pena investir no seu filho, vale a pena cobrar, vale a pena acompanhar de perto a escola dele, o comportamento dele. Vale incentivar para estudar”, pontuou.

Ela também destacou que o incentivo à leitura sempre foi algo presente na criação do filho. “Desde pequenininho eu levava para o shopping, levava para uma livraria para ver liro, para comprar até gibi, o que quer que fosse. Eu acho que a chave de tudo é a leitura. Quem lê muito, aprende a escrever bem, né”, frisou.

Para a prova do 3º ano, Tiago contou que – embora tenha ficado feliz com a média geral alcançada no Enem 2018 que, conforme o estudante, foi de cerca de 780 pontos – se matriculou em um cursinho de redação. “Agora eu estou estudando um pouco mais, de quatro a cinco horas, mas tenho que aumentar um pouco”, salientou.

G1-PB