Pagina Inicial Esportes Geninho valoriza personalidade do Avaí e destaca disputa em aberto com o Vasco

Geninho valoriza personalidade do Avaí e destaca disputa em aberto com o Vasco

Geninho Avaí — Foto: MAGALHÃES JR./PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Geninho evitou lamentar a derrota do Avaí para o Vasco, por 3 a 2, nesta quinta-feira, pela Copa do Brasil. Depois de sair na frente do placar, o Leão da Ilha levou três gols, mas diminuiu no fim para deixar a disputa em aberto. Na volta, dia 10 de abril em Florianópolis, o Avaí precisa da vitória por dois gols de diferença para avançar à próxima fase.

Para o comandante, a atuação teve altos e baixos, mas o time mostrou reação ao diminuir o placar. Geninho citou o jovem elenco, em que muitos nunca disputaram a Série A – seis jogadores do time titular (Iury, Ricardo, Matheus Barbosa, João Paulo, Getúlio e Daniel Amorim).

– Sempre tira lições, tivemos acertos e erros. Sabíamos que a bola parada do Vasco, acabamos tomando dois de bola parada, apesar que em uma a bola desviou. Demos espaços, mas foi bom. Não foi o pior dos resultados. Seria ruim levar dois de diferença para tentar tirar em casa. Um gol é possível de igualar ou até reverter. Time mostrou personalidade, é um time jovem, tinha só três jogadores praticamente que já disputaram a Série A. Os outros uma garotada, da base. Mas é um time e acredita, que corre, busca o resultado. Isso agradou bastante – disse Geninho.

O Leão da Ilha teve boa atuação nos 30 minutos da partida. Depois de levar o gol, acusou o baque e permitiu a virada no segundo tempo.

– Quando tem um time jovem, joga com o emocional. Estava na frente, bem, levando o jogo de uma forma tranquila e organizada. Tomou o gol, sentiu o choque, abalou, demorou para se reencontrar. Tomou o segundo, o terceiro, aí acontece algo que surpreende. Quando está tudo perdido, tranquilizou e voltou a jogar. Tivemos um hiato no segundo tempo, tomamos dois gols, mas descontou e teve até chance de buscar o empate. Normal oscilar, é a primeira vez que esses garotos pegam um São Januário, um rival do porto do Vasco. Temos que saber conviver com isso.

O Avaí volta a campo no domingo contra o Figueirense, às 16h, na Ressacada. A delegação retorna no final da manhã desta sexta-feira para Florianópolis.

Confira mais da coletiva

Jogo da volta

– Pode esperar o que tem visto, um time que tenta se impor. Jogando em casa tem a torcida, campo que está acostumado, ambiente mais favorável. Evita uma viagem. Temos boas chances. O fato do segundo gol nos colocou de novo na briga. Senti um vestiário animado, não empolgado pois perdemos, mas consciente que pode reverter esse jogo.

Tomada de decisão

– Tivemos no final do jogo, no primeiro tempo algumas decisões erradas. Estamos trabalhando com garotos, e ele tenta fazer o melhor, não quer errar. Eu falo para eles, podem errar, faz parte da vida e do jogo. Não pode ter medo do erro. Mas é duro colocar isso na cabeça dos jogadores de uma maneira rápida. Alguns demoram mais para pegar personalidade de tentar o erro.

Laterais em noite ruim

– Difícil falar se um jogador atuou mal. Os dois laterais foram abaixo, o Getúlio abaixo também. Ele é agudo, veloz, participa sempre, mas participou pouco. O Matheus também. Mas é normal oscilar no jogo, mas e difícil saber porque oscila. No caso do Iury e Getúlio vinham muito bem, mas hoje não teve uma boa atuação.

Com GE