Pagina Inicial Notícias Política ‘Se fosse um país sério, ele já teria pedido afastamento’, diz Anísio sobre Moro

‘Se fosse um país sério, ele já teria pedido afastamento’, diz Anísio sobre Moro

O deputado estadual, Anísio Maia (PT), comentou nesta terça-feira (11), a respeito das reportagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil. Para ele, se fosse “em um país sério” ele mesmo [o ministro Sérgio Moro] deveria pedir o seu afastamento.

Anísio avaliou as conversas entre Moro e o procurador do Ministério Público, Deltan Dallagnol, afirmando que o então juiz tinha um “propósito muito claro” que era desestabilizar o PT e “criar toda essa situação de hoje”.

O deputado acredita que o ministro não vai pedir afastamento e o acusou de não ter ética. “O código que legisla o processo penal é claro e afirma que o juiz não pode ter cumplicidade com nenhuma das partes e ele foi cúmplice. É uma grande imoralidade se tratando de processo judicial”, disse.

“Não vou esperar nada de uma pessoa dessas, vai continuar até o final falando que vazamento é imoralidade sendo que ele é o juiz que promoveu o maior vazamento da história do Brasil com áudio da presidente da República”, afirmou.

Anísio acredita que o processo que levou à prisão de Lula está comprometido e que tem que ser anulado, porém ele destaca que os áudios tem que ter sua autenticidade confirmada.

Instâncias superiores

O político questionou até onde vai a influência da Lava Jato, uma vez que Lula teve a sentença mantida pelo TRF-4 e pelo STJ. “Me parece que o complô vai longe, o próprio desembargador que participou é amigo íntimo de Sérgio Moro, e teve uma vaga no STF prometida. Tem muita vaga sendo oferecida aí. O complô não é só na primeira, mas na segunda [instância também] no caso do TRF-4”, acusou.

Marília Domingues/Fernando Braz