A cantora e compositora Marisa Monte anunciou nesta terça-feira (9) que a turnê do seu novo álbum “Portas” vai começar em 2022 e vai passar por João Pessoa. O show na capital paraibana será no dia 28 de abril do ano que vem, 2022, no Teatro Pedra do Reino.

O reencontro de Marisa com o público começa no Rio de Janeiro, e passa por várias cidades brasileiras como São Paulo, Belo Horizonte, Natal, João Pessoa e Recife. A turnê também terá apresentações internacionais, nos Estados Unidos, na Europa e América Latina.

Além das canções do novo álbum “Portas”, o repertório do show destaca os momentos importantes da carreira de mais de três décadas da artista.

No palco, Marisa será acompanhada por Dadi (baixo, violões e piano), Davi Moraes (guitarra), Pupillo (bateria), Pretinho da Serrinha (percussão e cavaquinho), Chico Brown (violões e piano), Antonio Neves (arranjo dos metais e trombone), Eduardo Santana (trompete) e Oswaldo Lessa (saxofone e flauta).

Os ingressos para os primeiros shows já estão à venda no site Eventim. Em João Pessoa, informações sobre a venda dos ingressos serão anunciadas em breve.

A última passagem de Marisa Monte pela Paraíba foi em dezembro de 2013, na Domus Hall, em João Pessoa, na aclamada turnê ‘Verdade uma Ilusão’.

A prefeitura de Bananeiras, Brejo paraibano, está disponibilizando a partir desta terça-feira (9) um disque denúncia para recolher animais de grande porte que estiverem soltos pelas vias públicas do município. As denúncias poderão ser realizadas de domingo a domingo.

A partir de agora, segundo a prefeitura, os animais de grande porte serão apreendidos e levados para um espaço da prefeitura na zona rural, onde receberão alimentos, água e, se necessário, atendimento veterinário.

Para ter de volta, o responsável precisa procurar o setor de Vigilância Sanitária ou Secretaria de Administração da prefeitura, pagar uma taxa por dia que o animal ficou no espaço e também uma multa dependendo da gravidade da infração. Depois de 7 dias, se o dono não procurar os animais, eles seguirão para leilão.

O disque denúncia é exclusivo para denunciar os animais que estiverem soltos em vias públicas. Por isso, para esses casos, o denunciante deve ligar para os números disponíveis: (83) 9 9164-5164; 9 9933-8560 ou pelo 9 9309-7870.

O órgão destaca ainda que os proprietários dos animais poderão responder criminalmente nas esferas administrativa, cível e penal.

A prefeitura do município de Belém, no Agreste paraibano, decretou situação de emergência decorrente da existência de situação anormal em virtude a estiagem. O decreto assinado pela prefeita Aline Barbosa foi publicado na edição da última sexta-feira (5) do Diário Oficial do Município.

Com a medida, ficam dispensadas as licitações para alguns serviços e a prefeitura pode convocar voluntários para reforçar as ações de combate à crise hídrica. O decreto autoriza também a abertura de crédito extraordinário por parte do Poder Executivo.

A situação de emergência é válida para toda a área urbana e rural de Belém por um prazo de 90 dias, podendo se estender até no máximo 180 dias.

Foi divulgado nesta terça-feira (9) resultados do concurso da Fundação Paraibana de Gestão em Saúde, o PB Saúde. O resultado final divulgado é referente aos cargos de fase única e a classificação prévia dos cargos de ensino superior.

Entre os cargos com resultados divulgados estão o de técnico em enfermagem, que apresentou maior número de inscritos – com 3.995 candidatos, além dos cargos de técnicos em radiologia, segurança no trabalho, informática, refrigeração, assistente administrativo, designer gráfico, auxiliar de farmácia e os de nível médio; auxiliar administrativo, maqueiro, cozinheiro, copeiro, auxiliar de cozinha e outros.

Os candidatos poderão entrar com recurso nos dias 10 e 11 de novembro no site da organizadora da prova. O resultado final para os cargos de nível superior será publicado após a análise dos recursos, que deve durar entre 15 e 20 dias segundo a PB Saúde.

De acordo com a SES-PB, a expectativa é que a convocação dos profissionais seja feita na primeira quinzena de janeiro de 2022. Os profissionais contratados irão atuar nas unidades hospitalares à medida que a fundação assuma a gestão dos hospitais.

Vinte estados brasileiros já registram postos vendendo um litro de gasolina por mais de R$ 7. O levantamento mais recente, divulgado nesta segunda-feira (8) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, também revela que sete estados têm preço médio da gasolina superior a R$ 7. O Rio Grande do Norte tem o maior valor médio do combustível, R$ 7,228. Na sequência aparecem o Piauí (R$ 7,214) e o Rio de Janeiro (R$ 7,211).

A pesquisa aponta que o valor médio do litro no país está em R$ 6,710. Quinta alta consecutiva nas semanas pesquisadas.

O Amapá é o único estado onde a gasolina ainda tem valor médio abaixo de R$ 6,00. Por lá, a média dos 24 postos pesquisadora é de R$ 5,888 o litro da gasolina.

No Rio Grande do Sul, a ANP encontrou o o valor mais caro cobrado pelo litro da gasolina até agora, R$ 7,999. No estado do Sul, o valor médio do combustível é de R$ 7,008.

Completam a lista dos estados com valor médio da gasolina mais elevado: Acre (R$ 7,073), Distrito Federal (R$ 7,123), Goiás (R$ 7,175).

Os dados mais recentes da ANP foram coletados entre os dias 31 de outubro e 6 de novembro. Na comparação com a semana de 24 a 30 de outubro, houve alta de 2,25% da gasolina nas bombas.

Os postos refletem o mais novo aumento da gasolina nas refinarias, em vigor desde 26 de outubro conforme anúncio da Petrobras. Especialistas apontam que o valor deve subir ainda mais, já que os reajustes ainda são repassados aos postos. Com a alta do dólar e do petróleo no mercado internacional, novas altas nas refinarias são esperadas.

Band News

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) suspendeu o concurso com 32 vagas para professor efetivo nos campus de João Pessoa e Areia após uma ação ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) pedindo para que fosse incluídas no certame cotas para candidatos autodeclarados negros e pessoas com deficiência (PCD). Na mesma ação, pelas mesmas razões, o MPF também pede a anulação do concurso para professor efetivo do Departamento de Ciência da Informação, realizado em 2019.

De acordo com o MPF, a ação ainda busca que a universidade seja condenada a adotar a reserva de cotas em quaisquer dos concursos que realizar e organizar para provimento de cargos efetivos e temporários no âmbito da administração pública federal. O objetivo é assegurar a efetividade da Lei nº 12.990/2014 (que reserva aos negros 20% das vagas oferecidas nos concursos públicos) e da Lei nº 8.112/90 (que assegura para as pessoas com deficiência até 20% das vagas oferecidas no concurso, cujas atribuições sejam compatíveis com a deficiência de que são portadoras).

Ainda segundo a instituição, nos editais dos dois concursos, a UFPB justificou a ausência de reserva imediata de vagas para cotas raciais e para PCD “em razão da independência dos concursos de cada departamento/unidade acadêmica para as vagas de que dispõem, sendo estas em número insuficiente para atender a cota estabelecida pelo §1° do Artigo 1° da Lei 12.990/14”. E, apesar dos editais preverem que, se durante a validade do concurso, a área de conhecimento atingisse três ou mais vagas, a 3ª vaga ficaria reservada ao candidato das cotas, não houve sequer formulário que permitisse a inscrição de candidatos fora da ampla concorrência.

Mesma irregularidade em 2019

Na mesma ação, pelo mesmo motivo, o MPF expediu recomendação para que a UFPB anulasse o concurso realizado em 2019 e instaurasse os procedimentos administrativos cabíveis para a exoneração dos candidatos nomeados.

O Ministério Público Federal também recomendou a realização de um novo processo seletivo, de acordo com a legislação de cotas, com as vagas das cotas sendo calculadas pelo total de nomeações para cada cargo, somadas todas as especialidades e locais de lotação, inclusive pelas vagas surgidas durante sua vigência.

No entanto, a Universidade não atendeu à recomendação ministerial e ainda lançou um novo edital este ano sem vagas previstas pelas cotas.

UFPB analisa situação

Em nota, a UFPB afirmou que detectou o erro no edital nº 58, de 6 de outubro de 2021, e está analisando juridicamente a situação do concurso de 2019. Confira a nota na íntegra:

“A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) informa que detectou equívoco no edital nº 58, de 6 de outubro de 2021, e está suspendendo o concurso público para provimento de cargos de professor do magistério superior regido por ele, para adequação em relação à reserva de vagas para cotistas prevista no decreto nº 9.508, de 24 de setembro de 2018, e na lei nº 12.990, de 09 de junho de 2014; bem como está analisando a situação jurídica do concurso regido pelo edital nº 83, de 15 de agosto de 2019, a fim de adequá-lo à legislação vigente”.

Portal Correio

O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), descartou, nesta segunda-feira (8), durante o programa Frente a Frente, da TV Arapuan, a possibilidade de vir a se unir politicamente ao governador João Azevêdo (Cidadania). Ele disse que uma coisa é a parceria institucional, e outra completamente diferente é manter uma união no campo da política.

De acordo com Bruno, é preciso existir maturidade política para permitir que adversários políticos possam manter uma convivência harmoniosa capaz de proporcionar dividendos administrativos para a população. “Na vida assim como na política, o resumo não é ganhar ou ganhar. Em nome de uma eleição não posso perder a identidade”, comentou.

Questionado sobre o futuro da oposição no estado, o gestor disse que o grupo deve apresentar uma candidatura para a disputa pelo Palácio da Redenção em 2022. “O melhor para a oposição é ter candidatura própria”, disse.

Bruno Cunha Lima também descartou alimentar uma união em torno de uma possível candidatura do senador Veneziano Vital do Rêgo ao governo do Estado. Ele lembrou que qualquer movimento neste sentido seria uma mudança muito drástica que o eleitor não iria entender.

Interessados em participar do concurso da Polícia Civil da Paraíba têm até a próxima quinta-feira (11) para fazer a inscrição. que pode ser feita através do site da organizadora do concurso, pelo endereço eletrônico. Estão sendo oferecidos 1.400 vagas, sendo que 1.262 são para ampla concorrência e 138 para deficientes físicos.

O valor varia de acordo com o cargo escolhido: para Delegado de Polícia Civil, Perito Oficial Criminal, Perito Oficial Médico-legal, Perito Oficial Odonto-legal e Perito Oficial Químico-legal é de R$ 250. Já para Escrivão de Polícia Civil, Agente de Polícia Civil, Técnico em Perícia, Papiloscopista e Necrotomista é de R$ 180.

As provas objetivas vão ocorrer nos dias 13 e 20 de fevereiro, a depender do cargo escolhido pelo candidato. Os locais de prova serão divulgados no dia 2 de fevereiro. O edital com a divulgação do resultado provisório está previsto para o dia 23 de março.

O primeiro fim de semana de novembro terminou com a prisão de 139 suspeitos e a apreensão de 19 armas de fogo, nas operações realizadas pela Polícia Militar, da noite da última sexta-feira (5) até o fim da noite desse domingo (7), em todo o estado. Pelo menos quatro operações diferentes foram desenvolvidas no período.

A corporação agora planeja uma operação específica para o feriado da República, no próximo fim de semana.

As apreensões de armas dos últimos três dias aconteceram nas cidades de João Pessoa, Cabedelo, Mogeiro, Campina Grande, Natuba, Queimadas, Alagoinha, Aroeiras, Barra de Santa Rosa, Juazeirinho e Sousa.

Ainda no período, foram recuperados 20 veículos com registros de roubos ou furtos e realizados 1.371 atendimentos pela PM.

A Polícia Civil realiza a operação Nero na manhã desta terça-feira (09) como parte das investigações sobre o incêndio criminoso contra uma loja de artigos importados localizada em João Pessoa, no mês de agosto. Um empresário foi preso no estado do Maranhão acusado de ser o mandante do crime. Ele é proprietário de uma loja concorrente, também localizada na Capital.

O advogado de defesa de Volnei Marques Lima afirmou que essa investigação vem perdurando e a defesa entende que não há provas para o empresário ser indiciado.  O advogado afirmou que já deu entrada no pedido de habeas corpus do empresário.

Quatro mandados de busca e apreensão e um de prisão. Na casa do proprietário foram apreendidos 21 mil reais em dinheiro e um carro de luxo.

Imagens gravadas pelo circuito de segurança do estabelecimento vizinho mostram o momento em que a dupla suspeita de ter cometido o incêndio começa a ação. No vídeo, é possível identificar quando dois homens passam na frente da loja. Um deles tira uma garrafa de dentro da mochila e a coloca na porta. O conteúdo do recipiente pode ter provocado as chamas.

MaisPB