Benito Di Paula verte ‘Lágrimas no meu sorriso’ no disco do filho Rodrigo Vellozo

♪ Em setembro de 2019, a vida de Rodrigo Vellozo sofreu abalo com a morte do irmão do artista, André. A tragédia da vida pessoal se refletiu na trajetória profissional porque o luto está entranhado no vindouro quarto álbum desse ator, cantor, compositor e pianista, O mestre sala da minha saudade, caracterizado por Rodrigo como “disco-desabafo” e “disco-sobrevivência”.

Segundo single do álbum, Lágrimas no meu sorriso será apresentado na sexta-feira, 19 de junho, em dueto de Rodrigo com o pai, Benito Di Paula, cantor e compositor fluminense que fez nome na música brasileira dos anos 1970 com samba sincopado de cadência conduzida pelo toque do piano.

Pai e filho expiam a saudade de André Vellozo com o canto de Lágrimas no meu sorriso, música composta por Rodrigo em parceria com Romulo Fróes, diretor artístico do álbum O mestre sala da minha saudade.

Tecnicamente, trata-se do segundo dueto de Benito e Rodrigo, feito décadas após registro beneficente da Oração de São Francisco, gravada por pai e filho para campanha fraterna. Na época, Rodrigo Vellozo tinha quatro anos de idade.

Anos depois, o cantor prestou tributo ao pai no terceiro álbum, Como é bonito Benito (2013), e o compositor participou da regravação de Ah, como eu amei! (Jota Vellozo e Nei Vellozo, 1981), mas não se tratou de dueto porque um dos autores da música, Nei Vellozo, também participou da faixa.

Capa do single 'Lágrimas no meu sorriso', de Rodrigo Vellozo com Benito Di Paula — Foto: Murilo Alvesso com arte de Julio Dui

Capa do single ‘Lágrimas no meu sorriso’, de Rodrigo Vellozo com Benito Di Paula — Foto: Murilo Alvesso com arte de Julio Dui

Decorridos sete anos, pai e filho se reencontraram no estúdio na gravação do primeiro álbum autoral de músicas inéditas da discografia de Rodrigo Vellozo. No primeiro álbum, Samba de câmara (2013), o artista chegou a incluir duas músicas de lavra própria entre composições alheias.

Anunciado em maio pelo single Hiato, música feita por Rodrigo a partir de letra enviada por Alice Coutinho com o título “E nós?”, o álbum O mestre sala da minha saudade vem ao mundo neste ano de 2020 dois anos após o disco Cada lugar na sua coisa (2018), trabalho de intérprete.

O quarto álbum de Rodrigo Vellozo – pianista de formação clássica – foi formatado com músicos sobressalentes na atual cena musical paulistana, casos de Allen Alencar (guitarra), Rodrigo Campos (cavaquinho e guitarra) e Marcelo Cabral (synth bass e arranjos de cordas).