O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quinta-feira (25) por meio de uma rede social a nomeação do professor Carlos Alberto Decotelli da Silva para o cargo de ministro da Educação.

Ele sucederá Abraham Weintraub, que, após 14 meses, anunciou demissão na semana passada para assumir um posto de diretor representante do Brasil no Banco Mundial, em Washington (EUA).

Decotelli será o primeiro ministro negro e o terceiro ministro da Educação do governo Bolsonaro. Antes de Weintraub, Ricardo Vélez Rodríguez permaneceu pouco mais de três meses no comando da pasta.

Após o anúncio de Bolsonaro, o decreto com a nomeação do novo ministro foi publicado na versão eletrônica do “Diário Oficial da União”. Até então, desde a saída de Weintraub, Antonio Paulo Vogel de Medeiros comandava a pasta na condição de ministro interino.

Oficial da reserva da Marinha, Carlos Alberto Decotelli da Silva atuou como professor da Escola de Guerra Naval, no Centro de Jogos de Guerra, e presidiu o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) entre fevereiro e agosto do ano passado. Depois, passou para a Secretaria de Modalidades Especializadas do Ministério da Educação.

Decotelli é bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), mestre pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), doutor pela Universidade de Rosário (Argentina) e pós-doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha.

FNDE

Quando Decotelli presidiu o FNDE, a empresa Brink Mobil foi escolhida, por licitação, para fornecer material escolar para alunos da rede pública. O dono da Brink Mobil, Valdemar Ábila, foi preso preventivamente pela PF na Operação Calvário, da Polícia Federal em dezembro de 2019. O processo licitatório teve início em 2018. Em fevereiro de 2019, o FNDE e a Brink registraram a ata de registro de preços com valor total de R$ 374 milhões. Decotelli e Ábila assinaram o documento.

No último dia 1º, Bolsonaro nomeou para a presidência do FNDE, que administra um orçamento de R$ 54 bilhões neste ano, o chefe de gabinete do senador Ciro Nogueira (PP-PI), Marcelo Lopes da Ponte. Nogueira é um dos principais políticos do PP, sigla que integra o grupo chamado de Centrão, que se aliou ao governo. Lopes da Ponte é homem de confiança do senador.

O FNDE é uma das autarquias do MEC e responde pela execução de uma série de iniciativas de alcance nacional, como o Programa Nacional do Livro e Material Didático (PNLD), o Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Com G1

O ministro da Economia, Paulo Guedes, informou nesta quinta-feira (25) que a terceira parcela do auxílio emergencial começará a ser paga neste sábado (27).

Guedes deu a informação ao participar de uma transmissão ao vivo em uma rede social com o presidente Jair Bolsonaro.

“Nós estamos, agora no sábado, pagando mais uma parcela para 60 milhões de brasileiros. Neste próximo sábado até o sábado que vem, 60 milhões de brasileiros recebem mais uma parcela”, declarou Guedes.

Em seguida, Bolsonaro afirmou que a “ideia” do governo é pagar mais três parcelas do auxílio, nos valores de R$ 500, R$ 400 e R$ 300, respectivamente.

Segundo Bolsonaro, a prorrogação está confirmada, mas os valores das parcelas ainda estão em estudo. Esses valores já haviam sido antecipados pela colunista do G1 e da GloboNews Cristiana Lôbo.

“Os números não estão definidos ainda, mas a gente vai prorrogar por mais dois meses, tá certo? O auxilio emergencial vai partir para uma adequação. Serão, com toda certeza, R$ 1,2 mil reais, em três parcelas. Basicamente, deve ser desta maneira. Deve ser, estamos estudando, deve ser R$ 500, R$ 400 e R$ 300 em dois meses”, declarou o presidente.

Mais cedo, nesta quinta, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a defender que haja mais duas parcelas do auxílio, no valor de R$ 600, como pago atualmente.

Entrevista cancelada

Também nesta terça, a assessoria do Palácio do Planalto anunciou que integrantes do governo concederiam uma entrevista coletiva sobre o auxílio emergencial, mas, pouco depois de uma hora do anúncio, informou que a entrevista havia sido cancelada. O motivo não foi informado.

Segundo o comunicado do governo, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, concederiam a entrevista.

Pela manhã, Lorenzoni e Guimarães participaram de uma reunião com Bolsonaro para discutir o tema. Outros integrantes do governo também participaram.

Antes do encontro, o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, chegou a informar em uma rede social que o governo vai pagar mais três parcelas do auxílio, de R$ 500, R$ 400 e R$ 300.

Pouco tempo depois de publicada, a mensagem do ministro foi apagada. Segundo a assessoria, o ministro apagou a postagem porque a informação estava incorreta e que o assunto ainda está em discussão.

Com G1

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) está reunindo documentação e elementos que embasem as denúncias sobre o descumprimento de medidas de isolamento em um condomínio de luxo no município de Bananeiras, no Brejo paraibano, no fim de semana (20 e 21 de junho). A cidade estava com decreto de isolamento social para evitar a propagação do coronavírus e mesmo assim houve denúncias de festas, o que estava proibido.

O Procedimento de Investigatório Criminal foi instaurado na segunda-feira (22), após alguns moradores serem apontados como os autores das festas juninas com aglomeração de pessoas. De acordo com o MPPB, em um dos eventos, houve flagrante policial e participantes foram conduzidos à delegacia. A Promotoria de Justiça está juntando ao procedimento outras ocorrências  pede que a população contribua com a investigação encaminhando material ao MPPB (e-mail [email protected] e WhatsApp 83 99194-6717).

A promotora de Justiça Ana Maria Pordeus Gadelha explicou que, na semana passada, diante da iminência de o município receber uma população extra por ocasião do São João, expediu uma recomendação ao prefeito Douglas Lucena Moura de Medeiros, para a prorrogação do decreto municipal que determinou o isolamento social e o fechamento do comércio local que não se enquadre como serviço essencial, bem como a instalação de barreiras sanitárias, para restringir a entrada na cidade apenas aos moradores e às pessoas que trabalhem em atividades essenciais ou para tratamento de saúde, devidamente comprovados. As medidas deverão ser adotadas até 30 de junho.

“Infelizmente, logo na sexta-feira, recebemos um vídeo do que seria uma festa em um dos condomínios da cidade. Lidamos com esse problema durante todo o feriado. Como membro do MPPB, que é a porta de entrada para os cidadãos mais necessitados, fico indignada em ver pessoas com alto poder aquisitivo e acesso à informação, agir com tamanha falta de sensibilidade, como se nada tivesse acontecendo, como se o País não tivesse mergulhado em problemas graves. Além de ferir às normas vigentes, acho um desrespeito às pessoas que estão doentes, às que perderam parentes e aos profissionais que estão na linha de frente tentando combater esse mal”, disse a promotora.

A representante do MPPB explicou que o órgão integra uma rede criada no município para o enfrentamento da covid-19 e tem acompanhado as medidas adotadas pelos órgãos municipais, conselhos tutelares e pelas polícias. Ela disse que vê com muita preocupação o fato de as pessoas estarem alheias à gravidade da situação e, assim, articularem festas e eventos, aproveitando o potencial turístico e geográfico da região, sem se importar com as consequências disso.

Processo Investigatório

O PIC instaurado pela Promotoria de Justiça deve apurar o descumprimento de medidas restritivas adotadas pelo Município, que decretou a suspensão de eventos de qualquer natureza com público superior a cinco pessoas; a suspensão das atividades de hotéis e pousadas e congêneres; a proibição do aluguel, empréstimo ou cessão não onerosa de imóveis para temporada, por um período inferior a 15 dias; a proibição, em todos os espaços públicos e privados das zonas urbana e rural, durante o mês de junho, do acendimento de fogueiras e estabeleceu que as transmissões ao vivo de eventos (lives) só poderão ocorrer sem plateia e após autorização da Prefeitura.

No procedimento investigatório, a promotora cita que  o MPPB recebeu informações acerca do descumprimento por parte de alguns cidadãos com relação às medidas restritivas e considera a “premente e imperiosa necessidade de apurar os referidos descumprimentos em toda a sua extensão, para o que se faz necessária a coleta das informações, dados e elementos comprobatórios”. A promotora adiantou que um desses descumprimentos se deu em um condomínio da cidade, com autuação dos responsáveis pela polícia, mas que também investiga outros eventos dos quais não houve flagrante policial, mas foram denunciados ao Ministério Público.

O prazo processual normal para a conclusão do PIC é de 90 dias, podendo ser prorrogado caso haja necessidade de mais tempo para a instrução do procedimento, que inclui coleta de elementos e informações, notificações aos responsáveis, audiências, juntada de documentos e outros atos inerentes à investigação ministerial.

ClickPB

A Estação Ferroviária do município de Duas Estradas, no Agreste paraibano, passou nos últimos dois anos por diversas restaurações. Parte do projeto já foi concluído e de acordo com a secretária de Cultura e Turismo, Flávia Rocha, a obra faz parte das iniciativas de estímulo à cultura e organização do município para o turismo que acontece desde 2017.

Ela explica que a proposta é fazer com que a população tenha o sentimento de pertencimento, de volta às origens, além de conhecer melhor a história e a cultura ligadas a um dos maiores monumentos históricos da cidade. A divulgação da mídia e das pessoas que já estiveram no município aumenta o número de visitantes em Duas Estradas. Entre os turistas, estão paraibanos, pernambucanos, além de pessoas vindas do Rio Grande do Norte, dentre outros estados brasileiros.

“A cidade começou a partir desse local especificamente. Historicamente, a estação faz parte da vida de qualquer duas -estradense e, além disso, também das pessoas, que por algum motivo passavam por aqui quando ainda tinha o trem de passageiros. Essa estação foi a que ligou Pernambuco ao Rio Grande do Norte. A gente sabe da importância porque vê tem toda uma questão emocional das pessoas com esse local que estava abandonado. Quando a prefeita Joyce assumiu, uma das primeiras ações foi iniciar o processo de restauração”, detalhou.

Até o momento, o investimento da Prefeitura Municipal de Duas Estradas ficou em torno de R$ 50 mil, adquirido com recursos próprios. Ela afirmou que o prédio da estação já está concluído e que, durante o processo, foi alterado o mínimo possível. Em meio à restauração, uma academia do Ministério da Saúde (MS) que havia começado a ser construída na frente do local precisou ser derrubada no final do ano passado para devolver a visão original do lugar.

“Antes de fazer qualquer coisa, fomos conversar com o Instituto Histórico porque essa academia atrapalhava a visão original e uma das coisas que a Lei do Tombamento diz é que nada pode atrapalhar a visão do prédio”, explicou.

No prédio da estação também foi inaugurada, em 2019, a Biblioteca Municipal Margarida Maria Alves, que, conforme Flávia Rocha, no ano passado recebeu mais de 1.000 pessoas. O local já recebeu exposições, a Semana de Mostra de Curtas de Direitos Humanos e a Mostra de Cinema Afro Brasileiro, durante a Semana da Consciência Negra.

Todas as visitas estão suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus. A gestora acrescentou ainda que entre os principais esforços para movimentar o lugar, está a participação de Duas Estradas no Circuito Raízes do Brejo.

“A estação é parte importante desse processo do Circuito Raízes do Brejo porque foi a partir do circuito que a gente despertou para essa necessidade de melhorar a nossa cidade visualmente e para a importância de cuidar do nosso patrimônio histórico e de resgatar outras coisas como o próprio Mirante de São Francisco também”, enfatizou.

Com Juliana Cavalcanti

Uma mulher de 68 anos foi diagnosticada com raiva humana após sofrer mordida de raposa, em Riacho dos Cavalos, no Sertão da Paraíba, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PB). O estado não apresentava casos da doença há cinco anos.

De acordo a SES-PB, a mulher foi mordida pelo animal silvestre no dia 8 de abril. No dia seguinte ela foi atendida em uma Unidade Básica de Saúde mas precisou ser atendida no dia 10 de junho, dessa vez em um hospital público em Catolé do Rocha.

No hospital, a mulher apresentou sintomas da raiva humana como delírios, espasmos e agitação psicomotora. Ela foi transferida ainda no dia 10 de junho para o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW-UFPB), em João Pessoa, que é referência no tratamento da doença.

A mulher segue internada em quadro clínico grave, porém estável. A SES-PB informou que ela está entubada e mesmo sedada apresentou movimentos de membros, espasmos e disautonomia. A doença foi confirmada nesta quarta-feira (24) através de exame laboratorial feito pelo Instituto Pasteur.

De acordo com a SES-PB, a raiva é uma doença infecciosa viral aguda que acomete mamíferos e é transmitida para os humanos pela saliva de animais infectados, principalmente por meio da mordida, podendo ser transmitida também pela arranhadura ou lambedura desses animais.

No Brasil e no mundo, os cães ainda são considerados responsáveis por mais de 90% da exposição do homem ao vírus da raiva e por mortes em seres humanos pela doença, que ataca o Sistema Nervoso Central.

O período de encubação do vírus pode ser de dias até anos, com média de 45 dias em seres humanos. A Secretaria de Saúde da Paraíba informou que está acompanhando o caso e orientando as medidas necessárias no município de Riacho dos Cavalos, que não relatou nenhum outro caso suspeito da doença.

Ainda de acordo com informações da SES-PB, por ter sido um animal silvestre o responsável pela mordida na vítima, não há registro de que a raposa tenha sido vacinada. A secretaria orienta que a população realize a vacinação anual de cães e gatos, disponível nas 12 Gerências Regionais de Saúde da Paraíba.

Jornal da Paraíba

Considerado como o maior evento cultural e turístico do município, o São Pedro de Belém, no Agreste paraibano, acontecerá de forma virtual, devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus. O anúncio aconteceu nesta quinta-feira (25) no programa institucional da prefeitura de Belém.

O evento intitulado como “São Pedro em Casa” acontece nos dias 2,3 e 4 de julho com shows de artistas da terra, como Eziélio Show, Ramon Bernardo, Marrom entre outros. A transmissão acontece nas páginas oficiais da prefeitura de Belém no Youtube e Facebook, a partir das 17h.

Confira a Programação:

QUINTA-FEIRA (02/07):

SEXTA-FEIRA (03/07)

SÁBADO (04/07)

O São Pedro de Belém criado em 1997, pelo então prefeito Tarcísio Marcelo, e desde o dia 02 julho de 2004, está incluída no Calendário Turístico do Estado da Paraíba, através da Lei Estadual nº 7.620, aprovada pela Assembleia Legislativa da Paraíba.

No decorrer das várias edições dos festejos, além das bandas de forró, artistas de renome nacional como Alceu Valença, Fagner (2002), Zé Ramalho (2003), Leonardo (2004), Cláudia Leite (2002), na época vocalista da Banda Babado Novo, e Maria Cecília e Rodolfo se apresentaram no São Pedro de Belém, transformando esse evento numa das principais festas populares do estado.

Segundo projeções dos organizadores do evento, o público presente na abertura da festa, edição de 2012, atingiu cerca de 50 mil pessoas, demonstrando a grandeza do evento no município com uma população de quase 18 mil habitantes.

Um homem que se passava por representante sindical e não entregava produtos comprados na internet foi preso na terça-feira (23), no município de Monteiro, no Cariri Paraibano. De acordo com a Polícia Civil, foram cumpridos dois mandados de prisão contra o homem, que oferecia empregos cobrando das vítimas valores entre R$ 350 e R$ 500 e recebia dinheiro de compras e não as entregava.

Segundo o delegado Jorge Luiz, a 14ª Delegacia Seccional de Polícia Civil (DSPC), a partir de informações compartilhadas pela Polícia Civil do Ceará, foi constatado que ele agia em Fortaleza (CE), onde enganava as vítimas e oferecia empregos inexistentes. Para isso, os interessados depositavam os valores em sua conta para que ele disponibilizasse a suposta vaga.

Conforme a polícia, através das redes sociais, o suspeito também cometia crismes, lesando os consumidores virtuais com a comercialização de roupas íntimas femininas. Nesse caso, ele obtinha o pagamento correspondente à venda, mas não entregava o produto ao comprador.

A prisão ocorreu por policiais civis na cidade de Monteiro e o preso foi encaminhado para a cadeia do município, onde aguardará determinação da Justiça para ser encaminhado para o estado do Ceará.

O condutor do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) Jotta Carlos, que também atua como radialista, foi ameaçado pelo sogro nesta quinta-feira (25), na cidade de Sapé, Zona da Mata paraibana.

De acordo com informações do próprio comunicador, o sogro estava alcoolizado quando partiu para cima dele com a arma branca. Ele relatou que eles não se dão bem e que tinha ido a casa do sogro buscar o filho, que fica com a avó.

O condutor disse que uma discussão começou e, por ser perto, ele solicitou ajuda em um posto policial. O parente foi detido e conduzido para a Central de Polícia de João Pessoa, no bairro do Geisel, Zona Sul da capital.

T5

A Polícia Civil investiga um golpe no processo de compra de imóveis, em Campina Grande. Pelo menos 40 pessoas informaram à polícia terem sido lesadas. Conforme a Polícia Civil, o construtor suspeito de envolvimento no suposto golpe prestou esclarecimentos à polícia na tarde de quarta-feira (24) e em seguida foi liberado.

De acordo com o relato das vítimas àTV Paraíba, o esquema seria articulado por meio de uma imobiliária, que pegaria os bens das vítimas e, após isso, a promessa seria que os valores seriam aplicados na construção da casa própria de cada uma dessas pessoas. Segundo as vítimas, elas investiram dinheiro, outros imóveis e carros, para a compra de novas casas.

Entre as vítimas que realizaram as denúncias estão policiais, empresários e advogados. De acordo com eles, parte do combinado no processo de compra foi cumprido e documentos foram emitidos, porém, na parte final de construção das casas, o construtor teria sumido com o dinheiro. São suspeitos de terem envolvimento no caso um construtor e seis corretores, que foram identificados e estão sendo investigados.

De acordo com a Polícia Civil, está sendo investigada a possibilidade de crime ou de quebra de cláusulas contratuais.

Um homem de 33 anos foi preso em flagrante na noite desta quarta-feira (24) suspeito de estuprar uma criança de sete anos, em Bayeux, na Grande João Pessoa. Ele é cunhado da vítima e não foi a primeira vez que ele violentou a criança.

A vítima já havia relatado as histórias de abuso a alguns parentes, mas eles não acreditaram nela. Conforme a delegada, até esta quarta, não havia provas. “Era a palavra dele contra a palavra dela”, declarou Amin Oliveira.

No entanto, na noite da terça-feira (23), o homem foi flagrado pela própria companheira. Ele estava nu em cima da menina, também nua. Houve uma discussão entre o casal, mas a mulher não acionou a Polícia Militar.

No dia seguinte, a criança acordou e foi para casa, onde contou para a mãe o que havia acontecido. Ela chamou a polícia e denunciou o homem. O homem foi encaminhado para a Central de Polícia Civil e aguarda audiência de custódia. Para realizar denúncias, a delegada lembra que é possível ligar para o Disque 100, para o 197 (Polícia Civil) ou para o 190 (Polícia Militar), em casos emergenciais.

Jornal da Paraíba