Um homem de 28 anos foi preso nesta, terça-feira (2), suspeito de matar uma idosa de 77 anos a facadas, em Remígio, no Agreste da Paraíba. Ele teria invadido a casa da vítima no último sábado (27), e cometido o crime para roubar a quantia de R$ 900 e dois celulares, conforme informou o delegado Cristiano Santana.

Ainda de acordo com o delegado, o suspeito invadiu a casa da idosa, que morava sozinha. No momento da ação, ela estava em uma videochamada com um filho, que mora em São Paulo.

Como a ligação foi interrompida bruscamente, o filho entrou em contato com vizinhos e pediu que eles fossem até o local para saber o que havia acontecido. Quando chegaram na casa, encontraram a vítima inconsciente e a mobília revirada.

“Trata-se de um crime bárbaro e que comoveu toda a população de Remígio, diante da covardia empreendida pelo suspeito contra uma senhora sem chances de defesa”, relatou o delegado.

O delegado explicou que as pessoas da vizinhança sabiam que a idosa tinha o costume de guardar dinheiro em casa, para as despesas do decorrer do mês. Mas, não pode precisar se o crime aconteceu de forma premeditada, já que o suspeito não confessa tê-lo cometido.

A polícia chegou até o homem, após assistir as imagens do circuito de segurança da residência, que o mostram tendo acesso ao imóvel.

O suspeito foi autuado pelo crime de latrocínio e encaminhando para a Central de Polícia de Campina Grande, onde permanece à disposição da Justiça. A arma utilizada no crime não foi encontrada.

A Quarta Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba, determinou, na segunda-feira (1º), que o Estado da Paraíba deve pagar uma indenização por danos morais, no valor de R$ 12 mil, em favor de um homem que ficou preso indevidamente durante seis meses, por supostamente ter matado alguém. De acordo com a relatoria, a injusta prisão resultou em vários prejuízos, inclusive à perda de uma vaga em concurso público.

A assessoria de imprensa da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) informou  que o procedimento é aguardar a citação da decisão, para analisar e entrar com recurso cabível, mas que ainda não foi notificada da decisão e que não pode se manifestar antes da notificação.

Nos autos, o suspeito declarou que ficou detido no presídio do Município de Santa Rita, no regime fechado, por um período de 6 meses, enfrentando sérios transtornos. Antes “convivia em um ambiente tranquilo e harmonioso com a sua companheira e seus três filhos. Entretanto, devido a sua prisão, a sua esposa o abandonou, alegando que não aguentava mais ter que ir visitá-lo na cadeia, bem como passar pelo constrangimento da revista íntima”, disse.

O relator do processo, desembargador Fred Coutinho, entendeu que o caso não é só de restrição indevida ao direito de locomoção, mas também de violação à dignidade de um cidadão, quando foi levado preso, na frente de seus filhos e esposa, conduzido na viatura policial, e, ainda, ficado recluso indevidamente por seis meses.

“Considerando a gravidade do suplício imposto ao autor, que foi preso indevidamente, entendo que a indenização a título de dano moral deve ser fixada no importe de R$ 12 mil, montante que, considerando a situação financeira da vítima, a gravidade do evento danoso e os transtornos físicos e psicológicos dele resultante, melhor se adequa ao critério da razoabilidade e é suficiente para atender ao caráter punitivo e pedagógico inerente a esse tipo de reparação”, disse o desembargador Fred Coutinho na relatoria.

Em relação ao pedido de reparação material pela perda da efetivação em um concurso público, o relator considerou que a aplicação da hipótese somente será possível quando comprovarem que o ato apontado como ilícito efetivamente retirou a possibilidade real e séria de alguém alcançar um resultado futuro mais favorável. “A mera inscrição em concurso público não induz que o candidato teria reais chances de aprovação”, ressaltou.

Duas pessoas ficaram feridas após se envolverem numa confusão na noite desta segunda-feira (1º) no Sítio Aldeia, na Zona Rural de Solânea, no Brejo paraibano. O caso aconteceu por volta das 21h30.

De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima foi um jovem de 19 anos, residente em Arara e o acusado foi um homem de 32 anos, residente em Solânea. Ambos foram parar no hospital municipal da cidade para os cuidados médicos.

Ainda segundo a PM, a vítima precisou ser transferida por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital de Trauma de João Pessoa. O acusado ficou sob custódia no hospital até receber alta.

Os procedimentos cabíveis foram realizados na Delegacia de Polícia.

A Polícia Militar (PM) registrou uma ocorrência de roubo na tarde desta segunda-feira (1º) no centro da cidade de Guarabira, no Agreste da Paraíba. As vítima foram dois funcionários do Armazém Paraíba que trafegavam em uma motocicleta, segundo informações do repórter Rodrigo Sousa.

Ainda segundo a PM, as vítimas foram abordadas por dois indivíduos em uma motocicleta YBR Yamaha de cor vermelha, estando um deles com uma arma de fogo. O caso aconteceu por volta das 13h45, na Rua Amália Coelho.

O valor subtraído pela dupla não foi oficialmente divulgado pela Polícia Militar mas, relatos apontam que foi um montante de quase R$ 21 mil reais. O dinheiro seria depositado em uma agência bancária.

A Polícia Militar efetuou rondas em toda cidade porém, não houve prisão.

FontePB

A Prefeitura de Campina Grande trabalha com três possibilidades para realizar o São João em um contexto de pandemia, em 2021. Conforme nota emitida pela prefeitura, nesta terça-feira (2),  o município “dispõe de um projeto de realização do Maior São João do Mundo 2021, tendo por base, pelo menos, três cenários pandêmicos possíveis”.

Ao Jornal da Paraíba, a assessoria não detalhou as possibilidades, mas adiantou que em nenhum caso a realização do São João vai ser totalmente presencial e que são todas adaptáveis.

Na nota, emitida na manhã desta terça-feira (2), a prefeitura afirma que “jamais  o prefeito Bruno Cunha Lima anunciaria, de forma unilateral, uma decisão de tamanha magnitude, como o cancelamento do Maior São João do Mundo, sem antes ouvir, discutir, avaliar e ponderar, de forma aprofundada, com todos os segmentos cruciais para o sucesso do mais importante evento turístico da Paraíba – nesse caso, o trade turístico, passando pelas empresas patrocinadoras, até os setores envolvidos diretamente na organização e realização da tradicional festa de 30 dias”.

Segundo a prefeitura, a festa representa também o mais importante momento econômico do ano para a cidade, depois do Natal. “No ano passado, assim como aconteceu com outros importantes eventos no Brasil e no mundo, nosso São João foi cancelado, corretamente, pelas circunstâncias gravosas e porque, até aquele momento, não havia uma perspectiva clara de vacinação em massa a curto prazo no País”.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, por orientação do prefeito Bruno Cunha Lima, vem mantendo diálogo permanente com os segmentos que contribuem e são beneficiados diretamente com o evento.

“Já houve inúmeras reuniões com os principais players e setores econômicos e sociais. No que depender do esforço da Prefeitura de Campina Grande, desde que sejam garantidas todas as precauções e haja uma segurança sanitária na cidade reforçada pela celeridade possível no processo de vacinação, o Maior São João do Mundo poderá ser realizado, sim, com as naturais adaptações que a pandemia impõe aos organizadores de grandes eventos. Campina Grande não se acovarda diante dos desafios”.

Representantes da Paraíba na Copa do Brasil de 2021, Campinense e Treze conheceram na tarde desta terça-feira os seus adversários na primeira fase da competição. O Galo enfrentará o América-MG, e o Campinense jogará contra o Bahia. Nos dois casos, será confronto único, na casa dos paraibanos. Os adversários, em contrapartida, por serem melhor ranqueados, jogarão pelo empate para avançar de fase.

Quem passar de fase de Treze x América-MG, enfrentará o vencedor do duelo entre Porto Velho-RO e Ferroviário, como mandante da segunda fase. Já o ganhador da partida entre Campinense e Bahia pegará, como mandante da segunda fase, quem se classificar no confronto entre Jaraguá-GO e Manaus. A segunda fase também é disputada em jogo único, mas, em caso de empate, a vaga é decidida nos pênaltis.

Sorteio da Copa do Brasil foi realizado na tarde desta terça-feira, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução

Sorteio da Copa do Brasil foi realizado na tarde desta terça-feira, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução

O Treze vai para a sua 14ª participação em Copa do Brasil na sua história. A última vez que disputou o torneio foi em 2018, quando foi eliminado para o Figueirense na primeira fase, após perder a partida única, em Campina Grande, por 2 a 0. O Galo é o time paraibano que mais chegou longe no torneio. O clube ficou com a quinta colocação na edição de 2005, quando caiu apenas nas quartas de final para o Fluminense.

Já o Campinense disputará a Copa do Brasil pela 11ª vez. A última participação foi no ano passado, quando a equipe acabou sendo eliminada na primeira fase pelo Atlético-MG, no jogo único, no Amigão, com um empate sem gols. A melhor campanha do Campinense foi em 2013, quando passou da primeira fase, eliminando o Sampaio Corrêa. Na segunda, acabou sendo eliminado pelo Flamengo e ficando com a 45ª geral.

A CBF ainda não divulgou a tabela detalhada da competição, com datas, locais e horários dos jogos, mas a primeira fase está prevista para acontecer nos dias 10 e 17 de março, e as partidas de Campinense e Treze devem ser realizadas no Amigão, em Campina Grande.

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) analisa, nesta terça-feira (2), o Projeto de Lei 2.510/2021, de autoria do deputado estadual Adriano Galdino, que assegura ao Poder Executivo Estadual o direito de aquisição e fornecimento de vacinas contra a Covid-19. A propositura foi aprovada na reunião remota desta segunda-feira (1°) da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

De acordo com o Projeto de Lei, a medida será adotada caso o Governo Federal não cumpra o Plano Nacional de Imunização ou na hipótese de que este não proveja cobertura imunológica tempestiva e suficiente contra a doença.

“O Poder Executivo Estadual poderá comprar vacinas aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e as registradas por autoridades sanitárias estrangeiras previstas lei federal 13.979/2020, ou, ainda, quaisquer outras que vierem a ser aprovadas, em caráter emergencial”, acrescenta o texto.

O deputado Adriano Galdino argumenta que o crescimento do número de casos da Covid-19 e a alta na ocupação hospitalar apontam para um quadro muito preocupante na Paraíba.

“Sabe-se que em virtude da gravidade desta pandemia, apenas as vacinas em desenvolvimento no Brasil e no mundo contra o novo coronavirus poderão conseguir controlar, de fato, o avanço desta doença, uma vez que, segundo especialistas na área de saúde, as pessoas vacinadas, em sua maioria, não irão desenvolver a patologia na forma grave”, defendeu o deputado.

“Faz-se oportuno e necessário por parte dos entes federativos a adoção de ações mais proativas para fins de empreender as medidas necessárias para o enfrentamento da emergência sanitária, por isso a apresentação da presente propositura, pois ao permitir que Estado da Paraíba possa adquirir mais vacinas, além das asseguradas pelo PNI, privilegia-se, sobretudo, o interesse público, qual seja, o de preservar a vida humana”, completou o autor da proposta.

A senadora paraibana Daniella Ribeiro (PP) apresentou um projeto no Senado Federal, com o intuito de criar a ‘Medalha Senador José Maranhão’, destinada a homenagear pessoas ou empresas que se destacaram no combate à pandemia da Covid-19. A proposta foi protocolada e está em análise.

De acordo com o texto, a cerimônia de entrega da honraria será realizada em sessão do Senado Federal especialmente convocada para esse fim, e poderá contar com a presença dos homenageados.

Para saber quem deve receber a medalha, o projeto propõe a criação de um conselho, que será formado por um senador de cada partido representado no Senado, indicados pelas lideranças ou blocos partidários. Os premiados deverão ser escolhidos mediante justificativa de contribuição relevante durante o período de pandemia da Covid-19.

Daniella Ribeiro disse que a proposta, além de condecorar os profissionais que se destacaram na linha de frente do combate ao novo coronavírus, também é uma forma de homenagear o seu conterrâneo José Maranhão, que estava na vida política há quase 70 anos, sendo o senador mais idoso. O político morreu no dia 8 de fevereiro deste ano, aos 87 anos, por complicações causadas pela Covid-19.

Após criticas do pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe, no município de Guarabira, no Brejo paraibano, Monsenhor Adauto Tavares Gomes, que chamou a atenção da população em geral e dos fiéis ao dizer que o presidente da República, Jair Bolsonaro, era “imoral” e “genocida”, o deputado e vice-presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Tião Gomes (Avante), parabenizou a coragem do religioso e afirmou que concorda com tudo que foi dito.

Monsenhor Adauto, em sua homilia dominical também chamou o chefe do Executivo de ‘irresponsável’ diante da postura que adotou frente à pandemia do coronavírus no Brasil.

Tião Gomes disse que só ouviu verdades e que o Brasil precisa de mais pessoas corajosas iguais ao Monsenhor Adauto. O parlamentar também citou as informações distorcidas em relação aos repasses do Governo Federal aos Estados.

“Além de imoral e irresponsável por não valorizar a vida da população desde o começo da pandemia, Bolsonaro mostrou que é mentiroso ao maquiar e divulgar falsos números de repasses para o nosso Estado em 2020. Ele divulgou valores que incluem FPE, FPM, Auxílio Emergencial como se tivessem sido destinados apenas para o combate à pandemia, porém, esses recursos são obrigações constitucionais e não podem ser usados no combate ao coronavírus. Acosto-me a tudo que foi dito por Monsenhor Adauto e também pelo governador João Azevêdo. Os governadores e os municípios são vítimas desse monstro que está comandando nosso país e que veio apenas para destruir o Brasil”, afirmou Tião Gomes.

O prefeito de João Pessoa Cícero Lucena, durante entrevista na manhã desta terça-feira (2) ao programa Tribuna Livre, do Sistema Arapuan de Comunicação, afirmou que a Prefeitura não tem medido esforços para evitar um possível colapso na saúde e que medidas mais rígidas, como o lockdown (fechamento total), sejam adotado na cidade. O chefe do Executivo pessoense destacou os investimentos que estão sendo feitos na saúde, como abertura de novos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), construção de usinas de oxigênio e contratação de novos profissionais para trabalhar no enfrentamento a doença.

“Todo nosso esforço e trabalho é no sentido de evitar que isso ocorra, embora a gente esteja vendo uma tendência nacional, mas nos unimos ao Governo do Estado e colocamos mais de 40 UTIs para funcionar na última semana. Nessa, estaremos terminando a usina de oxigênio no Pronto Vida, com 40 monitores até sexta. Pretendemos colocar mais 25 UTIs no Pronto Vida e outras 10 no Santa Isabel. Estamos tomando todas as providências”, disse ele.

Cícero afirmou, porém, que mesmo tomando todas as medidas necessárias para evitar que isso ocorra, ‘tudo tem um limite’ e que a medida vai depender do esforço entre poder público e o comportamento da população, fazendo um apelo para que todos respeitem as medidas de distanciamento social que foram estabelecidas por meio de decreto.

“Estamos chamando outros profissionais de saúde para compor essas equipes, agora tudo isso tem um limite; seja físico, de mão de obra qualificada, de insumos e sem dúvida nenhuma a maior contribuição é a população se comportando, saindo só se for extremamente necessário e tendo o cuidado de evitar aglomerações e festas particulares. Só assim, com o governo fazendo a sua parte, e a população nos ajudando a enfrentar isso, nós vamos vencer com fé Deus e enfrentar essa crise sem precisar agravar como em outros estados”, concluiu o prefeito de João Pessoa Cícero Lucena.