Um auditor fiscal, que não teve o nome divulgado, foi preso no município de Alhandra, nesta terça-feira (17) suspeito de extorquir empresários na Paraíba. Ao todo, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão.

A investigação sobre a atuação servidor, vinculado com a Secretaria da Fazenda da Paraíba (Sefaz-PB), partiu da corregedoria do órgão, que recebeu duas denúncias contra o auditor.

Conforme as denúncias, o suspeito exigia dinheiro para não fazer autuações fiscais, o que é considerado crime, que pode ser punido com reclusão de três a oito anos.

A prisão aconteceu por meio da Operação Desvantagem, deflagrada nesta terça-feira (17), pelo Grupo Operacional de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal (GAESF-PB). A ação contou com o apoio da Polícia Civil.

Morreu na manhã desta terça-feira (17) a pequena Maria Vitória Hilário da Silva que lutava contra um tipo de leucemia. A criança de seis anos residia no Distrito de Rua Nova, localizado no município de Belém, no Agreste paraibano, e realiza o tratamento contra a doença há alguns meses.

Nas redes sociais a notícia foi recebida com bastante tristeza, amigos e internautas se solidarizaram e lamentaram a perda irreparável da criança.

“Quero me solidarizar com a família da pequena Maria Vitória. Momento de muita tristeza no nosso distrito, que Deus a recebe na glória. Meus pêsames aos familiares e amigos”, escreveu Israel França, morador do distrito de Rua Nova.

“Nossa amiguinha e vizinha foi morar no céu, vai com Deus Maria, que dor, que Deus conforte o coração dos familiares”, disse o cantor e vizinho da criança, Nando Cruz.

A prefeitura de Belém lamentou a morte da criança com uma mensagem de pesar à família nas redes sociais.

“A gestão municipal com imenso pesar lamenta o falecimento da pequena Maria Vitória Hilário da Silva, aluna da Creche Formozina, no Distrito de Rua Nova. Nossos sentimentos e solidariedade a todos os familiares e amigos de Maria Vitória que sofrem neste momento de dor”, disse a nota.

O sepultamento aconteceu no final da tarde desta terça-feira (17).

O Portal do Brejo deixa o seus votos de pesar aos amigos e familiares da pequena Maria Vitória.

O vereador José Vicente (Cidadania) protocolou um requerimento pedindo a Secretaria de Saúde do município de Belém, Agreste paraibano, o atendimento, em caráter de urgência, para pessoas que estão sofrendo as consequências da chikungunya. O requerimento será levado ao plenário nesta terça-feira (17), onde será discutido e votado pela aprovação ou reprovação.

De acordo com José Vicente, a doença tem deixados diversas pessoas no município em situações extremamente graves, impossibilitadas de trabalhar e ter sua rotina normalizada.

O parlamentar destaca ainda que pelos traumas que o povo compartilha sobre a doença, requisita a secretaria o serviço de um reumatologista para atender a população que não suporta as dores e gastos com remédios.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou 782 mortes por Pneumonia, entres os meses de janeiro e abril de 2022, na Paraíba. Por não se tratar de uma doença compulsória, fica desobrigada a notificação nos sistemas de informação, o que inviabiliza o número total de casos. São 25 óbitos de menores de 14 anos e 712 de pessoas maiores de 50 anos, em todo o estado.

De acordo com a SES, foram 12 óbitos registrados de crianças menores de 1 ano de idade. Entre 1 e 4 anos, foram 4 mortes. Outra morte foi registrada na faixa etária dos 5 aos 14 anos.

A pneumonia é uma doença inflamatória aguda que afeta os pulmões, e pode ser causada por micro-organismos (vírus, bactérias ou fungos) ou mesmo pela inalação de substâncias que comprometam as estruturas pulmonares.

Em muitos casos, a internação é necessária. Alguns fatores contribuem para a infecção, como lesão pulmonar por problema cardíaco ou respiratório; doença pulmonar (bronquite, enfisema); asma; exposição constante a ambientes tóxicos e o cigarro.

A pneumonia também pode ser uma das consequências da infecção pelo Sars-Cov-2, o vírus causador da Covid-19.

Os principais sintomas são:

  • falta de ar;
  • cansaço;
  • dor no tórax;
  • febre alta;
  • tosse;
  • alterações da pressão arterial;
  • confusão mental;
  • mal-estar generalizado;
  • secreção de muco purulento de cor amarelada ou esverdeada;
  • toxemia (danos provocados pelas toxinas carregadas pelo sangue);
  • prostração (fraqueza).

Tratamento

No geral, o tratamento das pneumonias exige o uso de antibióticos e a melhora costuma ocorrer em três ou quatro dias.

A internação hospitalar pode ser necessária quando a pessoa é idosa, tem febre alta ou apresenta alterações clínicas decorrentes da própria pneumonia, tais como: comprometimento da função dos rins e da pressão arterial, dificuldade respiratória caracterizada pela baixa oxigenação do sangue porque o alvéolo está cheio de secreção e não funciona para a troca de gases.

A comissão do Festival de Quadrilha Junina do Brejo (FESQUAJUB) realizou nesta segunda-feira (16) o sorteio de ordem de apresentação das quadrilhas juninas do brejo paraibano.

O sorteio aconteceu no plenário da Câmara Municipal de Guarabira e contou com a presença de quadrilheiros e representantes das quadrilhas juninas. A quadrilha belenense e bicampeã da etapa brejo, Junina Manoel Cardoso, será a quinta quadrilha junina a se apresentar no evento buscando o tricampeonato.

A etapa do brejo vai acontecer na cidade de Guarabira, o local e horário ainda serão divulgados.

Confira a ordem de apresentação das juninas do Brejo:

1º Quadrilha Junina convidada;

2º Raízes do Paó, de Alagoa Grande;

3º Dança Junina, de Tacima;

4º Explosão Bans, de Bananeiras;

5º Junina Manoel Cardoso, de Belém;

6º Fazenda Nordestina, de Guarabira;

7º Junina Raízes, de Borborema;

8º Junina Cafundó, de Lagoa de Dentro;

9º Fazendo Chamego, de Logradouro;

10º Paraíba Forrozeira; de Dona Inês;

A deputada estadual Camila Toscano (PSDB) mostrou preocupação com a situação econômica da Paraíba ao defender que é mais importante mudar o cenário político local do que nacional. Em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta terça-feira (17), a parlamentar, ao ser questionada sobre seu candidato à presidência da República destacou estar mais preocupada com a eleição para o Governo da Paraíba.

“Muito mais importante se preocupar com a candidatura local para governador. Minha maior preocupação é local, temos um reflexo muito maior na política se a gente não mudar esse governador do que o presidente. O governador é bem mais prejudicial ao povo paraibano do que o presidente”, disse.

Segundo a deputada, no cenário nacional, o partido ainda não decidiu quem apoiará. Ela destacou que João Dória é uma opção, mas que aguarda a decisão que será dada pelo PSDB. “Ainda não tenho opção para o presidente da República. Não tenho essa visão de rejeição ainda, mas prefiro respeitar meu partido decidir que irá apoiar”, explicou.

A parlamentar que tenta a terceira eleição, declarou apoio à pré-candidatura de Efraim Filho ao Senado Federal, junto com Pedro Cunha Lima (PSDB) ao Governo do Estado.

A deputada Camila Toscano foi eleita deputada estadual pela primeira vez em 2014, sendo em 2018, reeleita para a sua segunda legislatura. Natural de João Pessoa, com raízes familiares em Guarabira, no brejo paraibano, Camila é advogada e cresceu no meio da política acompanhando a atuação dos pais: a ex-deputada Léa Toscano e o ex-prefeito Zenóbio Toscano.

Durante uma audiência pública realizada na Câmara Municipal de Belém na noite desta segunda-feira (16), o advogado da Casa, Giordano Bruno, afirmou que o Projeto de Lei (PL) que propõe a proibição da utilização de fogos de artifícios e artefatos pirotécnicos no município é constitucional.

De acordo com doutor Bruno, o Projeto de Lei analisado pela Comissão de Justiça Redação recebeu parecer favorável pela constitucionalidade com fundamento de uma recente decisão do Superior Tribunal de Federal (STF), que julgou constitucional a Lei 16.897/2018 do município de São Paulo, que proíbe o manuseio, a utilização, a queima e a soltura de fogos de estampidos e de artifício e de artefatos pirotécnicos de efeito sonoro ruidoso.

O Projeto de Lei tem gerado bastante polêmica entre os poderes Executivo e Legislativo no município. Segundo alguns vereadores de situação, o projeto não estaria sendo bem aceito por parte de pessoas do Poder Executivo, que, durante uma reunião realizada na tarde de ontem afirmaram que vetariam o projeto.

A audiência pública contou com a presença de membros da Comissão de Proteção e Defesa Animal, a Associação Anjos de Patas, Secretarias de Educação e Saúde e Desenvolvimento Social, além de pais e mães de crianças autistas.

Sobre o projeto

O Projeto de Lei (PL) 019/2022 foi elaborado pelo vereador Aerton Ferreira (PROS) e propõe a proibição da utilização de fogos de artifícios e artefatos pirotécnicos com estampidos em locais públicos e privados do município.

Entre os argumentos, o parlamentar cita a perturbação que o barulho dos fogos pode provocar em pessoas idosas e que enfrentam enfermidades, em animais de estimação, além dos diversos acidentes registrados com o uso do material.

“Os efeitos nocivos dos ruídos provocados por fogos de artifícios também atingem crianças pequenas, com algum transtorno do espectro a exemplo de um autista, idosos e pessoas doentes, que se assustam e têm o seu descaso prejudicado pela poluição sonora decorrente da queima de tais artefatos.”, justifica o vereador em um trecho do texto da PL.

A proposta ainda prevê a liberação de fogos de vista, sem estampido, devidamente classificados pelas normas técnicas.

O deputado estadual, Anísio Maia (PSB) afirmou na tarde desta segunda-feira (16) que já está mais do que na hora do governador João Azevêdo (PSB) tomar uma decisão a respeito da indefinição do deputado federal Aguinaldo Ribeiro sobre a sua candidatura ao Senado Federal na chapa do governador.

‘” Aguinaldo tem  que apressar o passo, ir para as ruas  e dizer realmente é  ou não candidato senador.  Ele tem que tornar pública a sua decisão”, disse o deputado durante entrevista ao Programa Rede Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação.

Caso Aguinaldo decline da sua candidatura a senador,  Anísio Maia indicou dois nomes para a vaga:  o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Adriano Galdino  e o  ex-reitor da Universidade Estadual da Paraíba, Rangel Júnior.